10 janeiro 2008

Falando em pássaros

Homens são como passarinhos.
Sério, homens são exatamente como passarinhos. Mesmo quando são magricelos, depenados e sem cor, não podem ver uma fêmea que também pode ser magricela, depenada e sem graça que cantarola. É instintivo. Ele quer chamar atenção. Então assovia, cantarola, solfeja, batuca.
Foi o que constatou Manelzinho, treze anos, sexualidade à flor da pele. Seu tio acabara de iniciá-lo. Não tinha pai. Passava pela rua quando surgiu a jovem. Com ela veio junto uma onda de calor e um perfume inebriante. Não tardou e lá estava: "Em qualquer estação só vou gritar, amor, amor, amor".
As referências não podiam ser piores. A moça virou-se para trás com tom de deboche: "Vê se aprende o que é música, moleque!", e rebolou ainda mais agora que notara os efeitos que provocou no "projeto de gente".
O menino não entendeu de imediato. Como assim? música? Não, ele não percebeu que estava cantando. Inquieto e envergonhado, parou no banco da praça.
Pensou por tempos o que danado tinha sido aquilo. Aprendera neste momento mais uma das habilidades de seu pequeno "júnior". Sim, ele ativa funções do corpo tão bem quanto o cérebro. Consegue por instantes o controle sobre as mãos, pernas, olhos, glândulas sudoríparas e agora, boca e cordas vocais. Impressionante!
Levantou e caminhou pelas redondezas. Passou exatas quatro horas observando cada homem que passava por perto de alguma mulher. Novas, ruivas, gordas, estranhas. A reação era sempre a mesma. Por um segundo ou minutos, dependendo da carga visual que recebia, e também variava o tema musical conforme a qualidade visual.
Perguntou a um e outro se eles percebiam o que estavam fazendo. Todos riram. Seja por testemunhar a grande descoberta inútil do garoto, seja por perceber que de novo se deixou levar pelo íntimo "amigo".
Voltou para casa maravilhado com a capacidade do seu "parceiro" e vangloriava-se por nascer homem. Ao chegar, lá estava a namorada gostosa do tio, a mesma que o iniciara sexualmente. Cantarolou, agora sem surpresas e com muito orgulho, ainda que não tivesse melhorado o repertório. A mulher balançou a cabeça rindo:
— Ok, garoto, é o seguinte: essa é a função mais estúpida do seu passarinho. Assim ele repele a "aranha".

7 comentários:

Formigando disse...

Hein?

KkkKkkkkkkkkkkkkKKkk

ficou legal!

embora nao tenha entendido completamente de cara (pra variar)

beijo minha linda!

isa disse...

adauhadshudsuah
gostei :P

Evelyne Furtado disse...

Gostei de ver você,rs. E amiguinha, são (quase) todos muito parecidos sim. Começam aos 13 e mesmo que o passarinho só voe com a pilula azul, continuam pensando com ele.
Boa sorte para você!
Beijinhos

Capitão-Mor disse...

Essa do passarinho se locomover com comprimido azul foi ruim!!! :)
Bom texto...
Bom fim de semana!

carol disse...

eu ameii o texto de homem e passaros eh vdd td isso msm , mais eu tenhu mais ideias sobre isso e vou fazer outro em inspiração no seuu !
o pode dexa q quando eu publica um texto assim no meu blog parecido com o seu eu dou creditos pra vc ;
adorei msmm ;

carol disse...

www.lilacstar.blospost.com
adoreiiii msm ;

Carol Garcia disse...

aa nussa essa eles vaaum odiar
pq nessa agente sai ganhando sempree;
Evolução, Cérebro, máquina e Comportamento...
ta aee uma ideiaa !
putz a analisee ta verdadeiramentee correta !
adorei seuu blog ;

Coleção Pingos de Quê - by Magaliana