01 março 2007

Ergiebigkeit

Chora brando, envergonhada
Com a mancha escondida que espalhava.
Foge dos risos histéricos, da dor desesperada.
Da nova fase, agora revelada.

Pungindo-lhe a dor:
Recorre ao pai que logo notou.
Mas com riso calmo e breve, brincou:
"O que é isso? se machucou?"

Ora mais, quem diria
Ninguém entende sua agonia?
Acham graça, esperneiam:
"Agora sim, lhe nascem os seios!"

A menina, mulher amanhecia.
Amanhã, bom vinho ela seria.

5 comentários:

Formigando disse...

praticamente um retrato de um fato... MESMO

Show de bola!

A póbi em nova fase...
=D

beijao

mauricio_oliveira disse...

continuando mas sem rimar...

As mulheres são como um bom vinho... com o passar do tempo umas refinam o sabor e outras azedam... as que azedam é por falta de ROLHA...

poético, profundo e sincero...

piadinah bem ao modelo de Adão... =D


ficou massa!

Capitão-Mor disse...

Parabéns pelo blogue...Gostei bastante!

Anderson de Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Klatuu o embuçado disse...

Escreves bem, boa noção poética do ritmo, bom léxico, a temática também é interessante.

Coleção Pingos de Quê - by Magaliana