05 maio 2008

Tenho dito

Eu sou real. Podem apostar, eu sou real. Há pessoas que nos aparecem na vida como miragens, ou pesadelos. São pessoas que se vestem de uma personagem para provocar algum efeito em nossas vidas. Pois digo, não sou assim, sou real. Não entendo contudo, por que todos me vêem como personagem. Minha vida é surreal assim? Minhas atitudes são de tal modo tão incompreensíveis?
Eu hajo conforme meus sentimentos e razões. Ah, podem estar certos disso. Não levo uma vida de fantasias, mas tenho minhas impressões, e evito algumas consequências. Isso me leva a ser falsa? Não, vejo deste modo. Sou real demais, sou intensa demais, profunda.
Mudo minhas opiniões aqui e acolá. Experimento novas situações. Brinco e falo sério. Corro pelo shopping de pés descalços e sujos de areia em um dia, e repreendo o julgamento antecipado de algum infantil do dia seguinte. Sou assim porque sou verdadeira. Sou assim porque não nego as descargas elétricas do meu cérebro nem tão pouco a palpitação provocada pelas emoções.
Não sou personagem por ter sorte, ou por colocar lirismo nas palavras. Eu sou uma pessoa impregnada de realidade e calejada pelas desilusões essenciais ao aprendizado. Eu me conheço e reconheço na rua, apesar da miopia.
Àquele que não vêem assim, perdão. Desculpe-me pelo duro golpe de realidade: você não é real.
Deve ser terrível viver como miragem, ou como pesadelo. Eu Serei sempre eu.

5 comentários:

Dante Accioly disse...

Menina, você é linda. E passa muito dessa energia para quem lê o que você escreve. Beijo!

everton disse...

olá mariana!!poisé estou demorando pra postar coisas novas no blog é que ando meio atarefado mais irei postar mais vezes pode deixar!!
Gostei muito desse ultimo texto seu, muito verdadeiro mesmo bem legal,abraço!!

Hemeterio disse...

Tu também? Eu já fui descalço ao shopping, estava na faculdade e a gente fez uma reportagem lá. Eu interpretava um pobre matuto - existe matuto pobre gordo? - que fora expulso de suas terras por causa da construção do predio. Foi um barato, acabei expluso de lá, rerere. Jovens.

Capitão-Mor disse...

Um doce para quem não faça uso de um personagem ou máscara na sua vivência quotidiana...
Abraço!

Antonio Ximenes disse...

Mariana.

Eu me vejo um pouco nisso tudo que você relatou.

Tenho a plena certeza que ao assumirmos o compromisso de "sermos nós mesmos"... acabamos pagando um preço alto.

Ainda penso que viver e cultuar a honestidade... a verdade... a sinceridade... mesmo que isso não seja "moda" hoje em dia... é o melhor caminho a ser seguido.

Seja você... e pronto.

Abração.

P.S.: Tenho sentido sua falta lá no Pitoresco.

Abração de novo.

Coleção Pingos de Quê - by Magaliana